segunda-feira, agosto 20, 2012

O ouro ao bandido

Há jeitos que não se esquecem. É como andar de bicicleta.

Um olhar, cronometrado ao microssegundo, serve perfeitamente para traçar um rigoroso perfil psicológico. As pupilas mais dilatadas, as órbitas que teimam em resvalar (olhos, lábios, corpo, corpo, lábios, olhos), o adejar das pestanas mais denso e aveludado. A voz, mais colocada, dois tons mais sensual, quase quase no limite do patético-radiofónico.

E mesmo quem teima em fugir ao seu destino - o de ser um corpo errante - entrega-se, assim, como quem quer a coisa, ao próximo destinatário. "É a natureza humana!", dirão alguns. "É um cabrão incorrigível!", dirão algumas.

Eu sei que a vida é mais do que isso e que numa casa portuguesa fica bem, mulher que saiba por a mesa. E não nos enganemos. O que nós, mulheres, queremos, é um homem a quem estender a toalha, o tacho e o copo sobre a mesa. E o corpo também (mas isso já depende dos corpos... e das mesas).

Mas o que há-de uma mulher (qualquer que seja o lado onde esteja) fazer com um homem assim? Fechá-lo a cadeado? Prendê-lo com habilidades aprendidas à custa de muita leitura tântrica, cosmopolitaniana, zen, epicurista? Porque há-de chegar o dia em que só boa comida e uma cona não chegarão! Coisas certas, como o destino.


quarta-feira, outubro 12, 2011

Jeitinho cabrão

Eu gosto do teu jeitinho cabrão, gosto do teu andar gingão. Eu gosto do teu sotaque de vinho carrascão.
Deixa-me estar, deixa-me ficar, eu prometo ficar quieta. Queda, aqui, me fico, a ver-te passar.
E os teus olhos, e tu, que és? A tua voz de vinil, 37 rotações, roça na pele. Toca-me. 

quinta-feira, setembro 15, 2011

Voyeur

Entediada com a ausência de um bom exemplar masculino para contemplar. Apenas para exercer a arte de bem contemplar.

quarta-feira, setembro 07, 2011

Neurotic Boulevard

Olá! Bem-vindo à minha casa e à minha vida! Quero dar-te tudo e no menor tempo possível! Rápido, que a vida é para ser vivida, não temos nada a perder e eu até já programei a box para gravar todos os episódios dos The Kennedys.
Senta-te, por favor, não faças cerimónias! Sim, pode-se fumar, claro! Não sou fundamentalista! Hmm, usa antes esse cinzeiro, que este foi um presente da minha 'ex' numa viagem que fizemos a Marrocos. Mas fuma, estás à vontade!
Adoro cozinhar, descontrai-me imenso! Não gostas de cozinha de fusão? Mas isto é só um chutney de manga com teryaki de atum! Vá, vais provar e vais adorar, a sério! Fiz um workshop de culinária fabuloso... recomendado pela Time Out, foi o máximo.
Não exageres... também não são assim tantos DVD... gosto de ir à FNAC de vez em quando... perco a cabeça, é verdade... adoro os clássicos! Fellini, Pasolini, Marco Bellini, Paganini, Panini...Adoro, adoro! O meu filme favorito é aquele, a preto e branco, daquele sueco... ai... não me recordo o nome... deve estar aí o DVD algures... passas-me as sementes de sésamo, por favor?
Mais vinho? Gostas deste tinto? Era uma das recomendações desta semana da Visão... É amadeirado e com uns taninos florais... Não é delicioso?
Sabes, sou uma pessoa de gostos super simples...O que me faz feliz é estar com os amigos, à volta da mesa, boa comida, boa bebida, um som porreiro...[Pausa] Também tinhas bilhetes para La Roux no Lux? Ya! A gaja é brutal! Adoro... vou imensas vezes ao Lux, apesar de achar que aquilo agora está um bocado mainstream demais para o meu gosto... nunca fico na fila, conheço lá um bacano que é amigo do Manuel Reis... ya... claro, claro...
Adoro o meu espaço, ter o meu canto... sim, fui eu que decorei, com cenas que fui encontrando por aí...adoro cenas kitsch, como este rádio que estava em casa da minha avó... ainda toca, queres ouvir? Está aí, em cima dessa mesa... sim, é da BO Concept, mas comprei nos saldos, que aquilo lá é tudo caríssimo!
Religião? Não... fui baptizado e essas coisas, e andei na catequese... mas não acredito...Quer dizer, acho que há alguma cena superior, mas não é aquele Deus da igreja... sou contra essas instituições... o vaticano é uma máfia... acho que tenho a minha própria fé...
Quero ser pai, claro, um dia destes, ter os meus putos para os levar à bola e tal... Claro que quero ter filhos, mas biológicos, claro!
Biológicos?!
Sim. Sou contra o uso de pesticidas.

segunda-feira, setembro 05, 2011

E então?

"Está a ficar tarde..."
"Só mais um copo, vá!"
"A sério..não me apetece beber mais. Além disso, já viste as horas?"
"E então?"
E então?! E então nada. E então eu quero que tu te fodas. Não, não me apetece beber mais. Não, não me apetecer dançar. Não me apetece ser fixe, não me apetece cheirar nada, nem fumar. Não me apetece fingir que me importo e ter que fazer todas estas perguntas. E porque é que temos que falar, e porque é que isto é tudo tão difícil... e porquê e porquê e porquê...
"Há coisas mais importantes!". Claro que há. A troika e o truca-truca, a estranha tesão que o Vítor Gaspar me dá quando anuncia mais cortes e aumentos de impostos (deve ser o ar de serial killer que me dá ponta), as primaveras árabes, estreias de filmes europeus interessantíssimos que nunca irei ver, aquele novo livro que está a deixar toda a gente maluca, a banda do momento. Quero lá saber. Porquê é que havia de querer?
Eu quero ficar aqui. Parada. A olhar. E que olhar apenas não seja um esforço tão grande. Que olhar seja apenas isso. Olhar.
"Estás a ver-me? Estou aqui" - sms.
"Estás a ver-me ou estás apenas a fingir que me vês?" - pensamento.
E tu falas, e falas e falas....E eu falo, e falo, e falo... Desesperante tentativa de conexão, mas a ligação é periclitante. Há sabores impossíveis de fabricar.

quarta-feira, julho 06, 2011

domingo, abril 17, 2011